Skip to content
23 de julho de 2014

Novidade: demonstração e treinamento online

por Mariane Selli

trein

Para facilitar o acesso a demonstrações técnicas dos sistemas e treinamentos de utilização, a Exotics lança um novo formato do Programa de Treinamento, agora oferecido também por Skype.

Com o uso da tecnologia, basta ter uma conta no Skype, agendar um horário (conforme disponibilidade) e ter acesso à internet para estar em contato com o profissional que explicará o funcionamento dos sistemas Memorial 8Memorial Previdenciário WebAdvoc 6 e Advoc 6 Financeiro.

O objetivo do treinamento é capacitar o usuário e sua equipe na utilização do programa: proporcionar o pleno conhecimento da ferramenta e, assim, conferir maior produtividade ao trabalho.

Os clientes também podem utilizar o serviço para aprender mais sobre os recursos e aperfeiçoar seu uso ou, ainda, para demonstrações gratuitas de outros sistemas.

Os cursos do Programa de Treinamento são oferecidos em duas modalidades - Primeiros Passos e Avançado - e estão disponíveis para aulas presenciais (realizadas na sede da Exotics, em Porto Alegre) ou online. A duração varia de acordo com o programa apresentado e o módulo escolhido. Clique aqui para conhecer o conteúdo abordado em cada treinamento.

Conte com a praticidade dos treinamentos para ter ainda mais domínio dos programas que já fazem parte do seu dia a dia.

 

18 de julho de 2014

35 hábitos para se tornar uma pessoa mais produtiva

por Mariane Selli

gerenciamento-do-tempo

Muitas pessoas argumentam que precisam de dias com mais de 30 horas para que consigam terminar todos os seus afazeres. No entanto, o verdadeiro segredo está em como ter mais produtividade por meio do melhor aproveitamento de seu tempo.

O Portal Exame.com publicou uma relação elaborada pela fundadora da statup Funders and Founders, Anna Vital, com 35 hábitos que podem ser tomados em diversos aspectos do dia, e vão desde a escolha de roupas até o controle sobre sua alimentação, atividades físicas e uso da tecnologia. Veja só:

Mente

1. Regra do 80/20: preste atenção à regra do 80/20, ou seja, quais são os 20% de trabalho que renderão 80% de resultados?

2. Foque nas coisas importantes, e suprima as urgências

3. Decida qual será o resultado antes mesmo de começar

4. Faça um caderno para anotar ideias geniais que você tem e com as quais não pode trabalhar no momento

5. Elimine questões triviais para evitar o desperdício de seu tempo, como na escolha das roupas que vai usar

6. Aprenda a ignorar. Não é preciso ter uma resposta para tudo

7. Não perca tempo: faça um mau rascunho. Afinal, você não vai poder editar uma página em branco

8. Trate seu tempo como se ele fosse dinheiro

Alimentação

9. Crie uma rotina alimentar

10. Coma alimentos saudáveis

11. Receba a comida por delivery para economizar tempo

12. Faça um acordo com a cafeteria que frequenta diariamente

Agenda

13. Faça as coisas mais fáceis primeiro

14. Priorize apenas uma coisa por dia

15. Defina uma rotina diária para se organizar melhor

16. Evite fazer reuniões quando elas não forem sobre algum assunto realmente decisivo

17. Melhor feito do que perfeito

Corpo

18. Controle a ansiedade. Uma boa forma de fazer isso é praticando alguma atividade física, como corrida, dança ou natação

19. Não se prenda a poucas horas de sono. Dormir mais pode fazer com que você produza mais no dia seguinte

20. Tire pequenos cochilos quando sua energia estiver muito baixa

Truques

21. Visualize o produto final

22. Quem veio primeiro: o ovo ou a galinha? Evite a questão ovo-galinha e comece a tarefa antes mesmo de se sentir preparado

23. Assuma que você está com a razão quando estiver em dúvida. Decisivo é produtivo

24. Quando estiver com a mente muito bloqueada, crie um mapa mental com suas ideias

25. Se você não pode escrever algo, grave-o

26. Quando ler algo que lhe foi útil, escreva para o autor

Roupas

27. Defina uma espécie de uniforme para ir trabalhar, e use-o diariamente

28. Use tecidos inteligentes, para não perder tempo passando camisas

29. Carregue uma roupa que possa ser usada em várias ocasiões

30. Doe ou descarte as roupas que você já deixou de usar

Tecnologia

31. Limite as respostas de e-mail para apenas uma mensagem por minuto

32. Se você não consegue entender sobre o que um e-mail se trata, não responda

33. Desligue-se das notícias. Poucas coisas importantes acontecerão durante o dia

34. Não atenda a chamadas a não ser em casos de emergência (e emergências são raras)

35. Use atalhos de teclado para economizar tempo ao usar o PC

10 de julho de 2014

8 lições de marketing para aprender com a Alemanha

por Mariane Selli

podo

A Copa ainda não acabou, mas já temos o campeão moral: a seleção da Alemanha. A equipe deu uma aula de como planejar, entender e lidar com o principal público-alvo durante a competição: o brasileiro. E não pense que o trabalho foi fácil! Afinal, com a goleada histórica de 7×1, tudo poderia estar perdido.

Público-Alvo:

Agradar os brasileiros é conquistar nos campos o apoio e a torcida dos maiores frequentadores nos estádios, além de ganhar o carinho do nosso país em treinos, deslocamentos e na porta do Hotel. E esse planejamento começou muito antes da estréia da seleção na Copa. Foram várias ações, publicitárias e espontâneas, além de um media training espetacular para as principais estrelas da equipe. Confira abaixo as táticas e estratégias dos alemães:

1 – Vídeo em português

Antes de virem para o Brasil, a fanpage da seleção alemã aumentou consideravelmente sua base de fãs brasileiros com um vídeo em que exibia mensagens positivas. A frase “Vocês nem imaginam o quanto de Brasil existe dentro de nós” foi a mais marcante. 

Com isso, a disputa pelo papel de segunda seleção dos brasileiros estava lançada. “Se o Brasil perder, vou continuar torcendo pela Alemanha. Não vou ficar tão triste, é melhor do que perder para a Holanda ou para a Argentina”, diz a dentista Camila Fares, de 26 anos, que começou a seguir o perfil da seleção alemã no Facebook após o primeiro vídeo em português, ainda anterior à Copa.

2 - Uniforme do time mais popular

O vídeo o lançamento do uniforme mostram que a primeira análise de todo o plano foi entender o nosso país. O comportamento do brasileiro, desde a Copa das Confederações, era protestar e reclamar da Copa, misturando futebol e política. Além disso, muitos se mostraram contra a seleção com a teoria de que um título poderia esconder os problemas do país e do atual governo. E para quem torcer sem ser o Brasil? A Alemanha!

Para atrair mais fãs e agradar a Adidas, fornecedora de materiais da Alemanha e do Flamengo, a Alemanha escolheu homenagear o time de maior torcida no Brasil com o seu uniforme reserva. Vale lembrar que o time carioca só possui a maior torcida pois possui milhares de torcedores onde o futebol do estado não é tão forte: Centro-Oeste, Norte e Nordeste. Observe só onde foram os jogos da seleção:

  • 1º jogo – Salvador, Bahia
  • 2º jogo – Fortaleza, Ceará
  • 3º jogo – Recife, Pernambuco
  • 4º jogo – Porto Alegre, Rio Grande do Sul
  • 5º jogo – Rio de Janeiro (cidade do Flamengo)
  • 6º jogo – Belo Horizonte, Minas Gerais
  • 7º jogo – Rio de Janeiro (cidade do Flamengo)

As vendas das camisas superam as expectativas tanto no Brasil quanto no exterior. A comercialização foi 30% maior do que 2006, ano em que o país sediou a Copa do Mundo. E jogar no Maracanã contra o principal rival brasileiro, alguém duvida para quem será a torcida?

3 – Uniforme parte 2: Bahia

O único problema do uniforme rubro-negro é que ele poderia ser confundido com o do Vitória na Bahia, sede da seleção. Pensando nisso, a primeira medida foi agradar o outro lado da moeda. Para isso, Neuer e Schweinsteigger não só vestiram a camisa, como também cantaram o hino. A ação, claro, se tornou rapidamente um hit na internet.

4 – Relacionamento com os fãs

Uma ação digital só tem sucesso efetivo se há relacionamento direto com os fãs. Durante a Copa, os milionários jogadores deram um show de humildade nos passeios pela praia ou pela cidade distribuindo autógrafos e tirando fotos.

Além disso, os craques ainda fizeram o papel inverso, tirando fotos com a população e elogiando o país pelo apoio e carinho. Na imagem acima, o atacante Podolski postou no Instagram uma imagem em que está rodeado de baianos.

5 – Falar a nossa língua

Quem trabalha com rede social sabe que uma marca ou empresa deve se comunicar da mesma maneira que os seus fãs, criando sintonia. Além de dançar com índios, símbolo do Brasil, os jogadores ensaiaram também passos de hits populares, como “Lepo Lepo” e “Eu quero Tchu, Eu quero Tchá”.

6 – Os Jogadores e as redes sociais

Os principais jogadores foram muito bem orientados durante todo o torneio. Os craques publicaram várias vezes em português com frases de apoio à seleção.

Mesmo após a histórica goleada, todos eles mantiveram a linha de “paz e amor” e publicaram textos exaltando a seleção. Alguns, lembraram da derrota em casa, também nas semifinais, na Copa de 2006. Com isso, garantiram que a relação não foi quebrada, mesmo aplicando a maior goleada sofrida pela seleção na história das Copas.

7 – Muita mídia espontânea

Quando a ação gera mídia espontânea, o viral está pronto! Com muitos jornalistas cobrindo a Copa, não foi difícil ganhar espaço na imprensa pela simpatia e relação próxima com os brasileiros.

Desde alimentar macacos até os fatos citados acima, cada passo dos alemães foi acompanhado de perto e, claro, publicado com destaque.

8 – Marketing de relacionamento

O Marketing de relacionamento é tão poderoso que influencia demais os fãs. Algo que a Apple faz com maestria. Não é difícil de encontrar defensores da empresa em conversas e debates, seja ao vivo ou nas redes sociais.

E os alemães, tanto no Brasil quanto na Alemanha, passaram a agir influenciados pela seleção. Quem encontrou um alemão após a derrota de 7×1 relatou que foi confortado e, literalmente, abraçado, como na matéria acima.

Esta tarefa mostra como os influenciadores podem fazer a diferença. Vale lembrar que os alemãs têm fama de serem racistas contra os estrangeiros, herança ainda dos tempos de nazismo.

Fonte: Iska Digital/Texto: Renato Melo

4 de julho de 2014

Controle de Débitos: conheça o novo recurso do Memorial 8

por Mariane Selli

Débito

Lançado em março, o Memorial 8 - sistema para cálculos de atualização monetária, revisão de financiamentos e liquidação de sentenças – oferece agora o Controle de Débitos, ferramenta solicitada pelos usuários do programa.

O novo recurso se destina ao gerenciamento de parcelas a receber ou a pagar. Conforme os termos acordados entre as partes, o programa atualiza o débito a partir da data em que a dívida foi contraída até seu vencimento, apurando o valor a pagar. Em caso de atraso, aplica os juros de mora e multa correspondentes.

Caso o valor pago seja inferior ao montante da dívida na ocasião do pagamento, o Memorial também apura a diferença. Seguindo a necessidade do usuário, esta diferença pode ser desconsiderada ou constituir um novo valor a pagar. Se o pagamento for parcelado, cada parcela será atualizada até sua respectiva data de vencimento.

À medida que as parcelas forem quitadas, o Memorial apura o saldo atualizado da dívida até sua efetiva liquidação.

Completa e segura, a nova ferramenta amplia ainda mais a utilização do sistema de cálculos.

 

26 de junho de 2014

Como os exemplos das seleções podem ser usados nas empresas

por Mariane Selli

Desenvolver atividades que melhorem a relação entre a equipe é fundamental para que as pessoas tenham condições de se conhecer melhor, como também para criar um clima de cooperação

Crédito: Djalma Vassão/Gazeta Press

Crédito: Djalma Vassão/Gazeta Press

Além de bastante festa, o período da Copa do mundo é também o momento ideal para motivar os funcionários de uma empresa. Para isso, não há nada melhor do que se espelhar em uma seleção nacional.

Muitos já devem estar familiarizados com o termo “gestão de pessoas”, utilizado frequentemente no ambiente profissional no que diz respeito ao gerenciamento de pessoas, trabalho em equipe, liderança, feedback, entre outros. O curioso é que podemos aplicar este conceito a vários outros tipos de situação, inclusive a um time de futebol.

“Venho acompanhando o desempenho das seleções nacionais e observei alguns pontos que podem talvez explicar casos de sucessos e fracassos. Em minha opinião, não existe diferença entre a liderança de um técnico de futebol e de um gestor dentro de uma empresa, pois ambos têm que motivar e influenciar seus colaboradores para atingirem as metas definidas pelo clube ou pela empresa”, explica Barbosa.

O trabalho em equipe é fundamental para se atingir resultados. É importante que o líder estabeleça um relacionamento de confiança com sua equipe, pois só assim a comunicação entre eles será eficaz. Desenvolver atividades que melhorem a relação entre a equipe é fundamental para que as pessoas tenham condições de se conhecerem melhor e instaurar um ambiente de cooperação e não de competição. É importante conhecer e respeitar o perfil de cada profissional individualmente para obter o melhor desempenho dele.

Cada equipe tem sua particularidade, entretanto, para uma seleção atingir seus objetivos é preciso potencializar os espíritos de grupo respeitando as individualidades. Assim, o empreendedor sendo um grande líder, certamente estará aproveitando o momento e os exemplos para crescer, em vez se reclamar do que pode acontecer.

Via Portal Administradores.

18 de junho de 2014

Governança, processos e gestão de pessoas em TI

por Mariane Selli

Departamento de suporte

Nos meses de maio e junho, a gerente do Suporte Técnico da Exotics Informática, Priscila Lobato, participou de mais um curso na área de Tecnologia da Informação.

Com foco em governança, processos e gestão de pessoas em TI, o curso oferecido pela Sisnema abordou as principais práticas adotadas para gerenciamento de serviços, projetos, equipamentos, rotinas e pessoas, assim como a integração do setor aos resultados da empresa.

A Exotics incentiva a qualificação de seus colaboradores através de cursos e treinamentos reconhecidos no mercado. Uma forma eficiente de aprimorar os processos internos, o atendimento e os serviços oferecidos aos clientes.

 

13 de junho de 2014

7 dicas para curtir a Copa sem problemas financeiros

por Mariane Selli

brasil

A Copa do Mundo no Brasil já começou. O clima de festa e torcida contagiam mesmo, e podem tocar até o público contrário à realização do evento. Para driblar os gastos decorrentes das mudanças na rotina para acompanhar os jogos do Mundial, o portal Administradores consultou o  educador financeiro Reinaldo Domingos, autor do livro Terapia Financeira.

Conheça, abaixo, as orientações do especialista.

1. Caso não tenha conseguido ingressos para assistir os jogos da Copa, não cometa loucuras, pagando exorbitâncias para cambistas. Além de ser um crime, há o risco de o ingresso ser falsificado e dos valores descontrolarem as contas da família;

2. Pense duas vezes antes de viajar para outra cidade, principalmente se essa for sede de algum jogo, pesquise com antecedência passagens e estadia. Os preços já estão exorbitantes e ficarão ainda maiores para quem deixar para a última hora;

3. Estabeleça valores a serem gastos no período, separando uma quantia que não trará grande impacto no orçamento dos próximos meses;

4. Uma boa pedida é se planejar com antecedência para assistir aos jogos com amigos. É preciso levantar o que será servido: bebidas e comidas, quanto será investido de dinheiro e, então, dividir com todos;

5. Não é por causa da Copa que precisa trocar todos os eletrônicos (TV, computador, celular, som, etc.). Acalme-se e nada de ansiedade, talvez, este momento não seja uma boa hora para isso. Mas, se realmente achar necessário, pesquise na internet e em diversas lojas em busca do melhor preço;

6. Comprar produtos relacionados ao evento é interessante, todavia, é imprescindível controle, nem tudo é necessário, e muitos consumidores gastam muito dinheiro em coisas sem significado nenhum. É importante ter em mente que o descontrole financeiro geralmente ocorre nos pequenos gastos;

7. Não se esqueça que, depois da Copa, o Brasil ganhando ou não, a vida continua. Não se comprometa profissionalmente e muito menos financeiramente no período e evite que a ressaca seja grande.

6 de junho de 2014

Conheça o perfil de liderança de 6 técnicos de seleções da Copa

por Mariane Selli

felipao-selecao

Já no clima da Copa do Mundo, vamos ver o que nomes à frente das principais seleções têm a ensinar sobre liderança. A matéria foi extraída do Portal Exame.

Comandar um time de futebol, de certa forma, não é muito diferente de dirigir uma empresa. Em ambos os casos, se o líder não tiver uma estratégia e não conhecer bem a equipe para colocar as pessoas certas em cada posição, o resultado positivo não aparece.

Pensando nisso, a Page Pernonnel decidiu avaliar qual o perfil de liderança dos técnicos de seis seleções que vão disputar a Copa do Mundo no Brasil. A consultoria cruzou informações de seu banco de dados e falou com profissionais do esporte ao redor do mundo para traçar os perfis. Confira:

Felipão, do Brasil

Todo mundo sabe que o técnico da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari, gosta de escolher pessoas de confiança para as posições-chave de seu time. Ele também é firme ao traçar objetivos e metas e tem empatia pelos jogagores que seguem seus comandos e defendem a equipe.

Perfil de liderança - Para a Page Personnel, Felipão tem o perfil de líder motivacional. É aquele tipo de chefe que cobra muito da equipe, mas também gosta de estar próximo. Preza pelo bom ambiente de trabalho e exerce uma “pressão psicológica positiva” nos funcionários.

Vicente Del Bosque, da Espanha

O técnico da seleção espanhola é discreto e conciliador. Com esse estilo, ele consegue manter estável a equipe muita vezes divida pela rivalidade entre madrilenhos e catalães. É fiel ao toque de bola e gosta de renovar o time com jovens talentos.

Perfil de liderança - Del Bosque é adepto uma liderança democrática (ou participativa). Nesse estilo, todos são incentivados a contribuir para o processo de decisão. Essa atitude cria uma consciência de grupo que engaja, estimula a evolução dos liderados e forma sucessores.

Oscar Tabárez, do Uruguai

Não é à toa que o treinador do Uruguai tem o apelido de maestro. Tabárez tem um perfil reflexivo e sereno e lidera com base em convicções fortes e ideias claras.

Perfil de liderança - Tabárez possui um estilo de liderança “transformacional, contundente e objetiva”, segundo a Page Personnel. Esse tipo de líder passa muito tempo se comunicando com sua equipe. Ele não fica necessariamente na linha de frente e costuma delegar responsabilidade aos subordinados.

Jurgen Klinsmann, dos Estados Unidos

O treinador da seleção norte-americana é conhecido por adorar a disciplina técnica e táctica. Alemão, ele é muito pragmático. Nas outras equipes por quais passou, sempre exigiu total obediência dos jogadores aos conceitos táticos que adota. Centralizador, deixou de convocar Landon Donovan, estrela dos EUA, o que contrariou a torcida.

Perfil de liderança - Klinsmann adota uma liderança corporativista, baseada em métodos e técnicas bem denifidos. Líderes assim precisam ter uma boa visão estratégia, forte ritmo de trabalho e muita energia para impor suas ideias, segundo a consultoria. Ele fica completamente concentrado na organização, apoio e desenvolvimento de seus subordinados.

Louis Van Gaal, da Holanda

O técnico da Holanda é direto e disciplinador. Segue à risca seus próprios métodos e exige entrega total de seus jogadores em treinos e, principalmente, jogos. De personalidade forte, Van Gaal por vezes dá declarações polêmicas.

Perfil de liderança -  Van Gaal é um líder autocrático. Esse tipo de chefe tem grande nível de poder sobre seus subordinados. Nesse caso, a equipe não tem muito espaço para dar sugestões, mesmo que elas sejam de interesso coletivo. De acordo com a Page Personnel, esse tipo de líder tende a provocar altos níveis de faltas e insatisfação.

Alejandro Sabella, da Argentina

O técnico da Argentina é bem próximo dos jogadores, sendo considerado amigo deles. Sabella valoriza o bom ambiente no grupo e aposta nisso. Quem não é seu amigo, corre o risco de ficar de forma de sua seleção, assim como aconteceu com Tevez, desafeto declarado do treinador.

Perfil de liderança - O modo como Sabella comanda o time é o laissez faire (expressão francesa que significa deixar andar). É baseado na liberdade direcionada e deixa os colegas prosseguirem no que fazem, sem muita interferência. Esse tipo de liderança funciona se o líder conseguir controlar os resultados e comunicar bem isso à equipe, de forma regular. É mais eficaz em times formados por pessoas com muita experiência e espírito de iniciativa, segundo a consultoria.

21 de maio de 2014

50 dicas de marketing para advogados

por Mariane Selli

Hand on white with layers and shit

Extraída do site Consultor Jurídico e traduzida por João Ozorio de Melo, a lista foi elaborada pelo advogado Terry Berger em parceria com colegas norte-americanos.

O grupo entrevistou profissionais bem-sucedidos em suas práticas e selecionou as 50 melhores estratégias de marketing para a conquista de clientes.

Conheça:

1. Associe-se à câmara de comércio local. É ótimo para fazer relacionamentos e ganhar credibilidade em sua comunidade.

2. Mande fazer cartões visitas que se distingam dos demais e os distribua livremente.

3. Dê a cada possível cliente pelo menos dois cartões, um para ele e outro para que dê a uma outra pessoa.

4. Mande fazer cartões de visita para cada advogado e para cada funcionário da firma, com o nome deles, cargo que ocupam, endereço de e-mail e também o nome, endereço e telefone da firma. Eles vão distribuir com boa vontade cartões com seus próprios nomes.

5. Tente publicar artigos em jornais locais. Escreva artigos didáticos, explicando em linguagem comum porque, por exemplo, todo mundo deve fazer um testamento ou cuidados na contratação de serviços. Temas de sua área de atuação. Certifique-se que o artigo será assinado (isto é, terá seu nome) e de que seu e-mail estará disponível para perguntas dos leitores.

6. Personalize todo seu papel de correspondência, como nome e logomarca da firma ou nome do advogado, endereço completo, telefone e e-mail.

7. Tente, de preferência com a ajuda de assessorias de imprensa, conseguir que repórteres locais o usem como especialista em sua área de atuação. Se você conseguir se comunicar em linguagem comum, em vez de juridiquês, fará sucesso com os jornalistas.

8. Participe das listas de discussões por e-mail promovidas pelas seccionais da ordem, por associações de advogados e publicações jurídicas.

9. Tente ser professor em faculdades, centros comunitários ou onde houver uma oportunidade. Discuta em classe os temas de sua área de especialização. Os alunos se encarregam de divulgar seu trabalho.

10. Certifique-se de que todas as pessoas em seu prédio de trabalho e de residência, bem como na vizinhança, saibam que você é um advogado e qual sua área de atuação. Torne-se popular em seu meio.

11. Envie cartões de Natal e de outras celebrações a tantas pessoas quanto puder. Cartões de Natal devem ser enviados com antecedência, para que fiquem expostos por muitos dias.

12. Envie cartões de felicitações por aniversários, casamentos e outras celebrações a todos os seus colegas, clientes e possíveis clientes. Um sistema simples de calendário e uma caixa de cartões genéricos tornam essa tarefa muito fácil.

13. Envie calendários personalizados todos os anos. Muitos websites podem adicionar suas informações a seus calendários a um preço bem baixo. Os melhores calendários são aqueles que podem ser afixados perto do computador ou do telefone.

14. Peça aos clientes que o recomende a outros. À conclusão de um caso, quando o cliente expressa sua gratidão, dê-lhes alguns cartões de visita para ele repassar a outras pessoas.

15. Faça palestras a grupos comunitários e a idosos sobre temas atuais, tais como testamentos, cuidados com quadrilhas que fraudam pessoas idosas ou incautas.

16. Ofereça-se para fazer palestras em associações, clubes, entidades ou qualquer tipo de organização.

17. Certifique-se de que todas as pessoas em sua igreja, clube ou associação saibam que você é advogado e em que área atua.

18. Escreva artigos em tabloides, boletins ou qualquer publicação das escolas locais, das igrejas, clubes, associações. Muitas dessas publicações gratuitas têm um bom índice de leitura. Fique atento aos problemas locais e escreva sobre eles.

19. Deixe cartões de visita onde for possível ou por onde possam passar possíveis clientes, como em salões de beleza, centros comunitários, clubes, associações etc.

20. Envie cópias de notícias jurídicas ou decisões judiciais a outros profissionais, empresários, clientes, com uma nota dizendo: “Isso pode lhe interessar”. Faça-o, no mínimo, duas vezes por semana.

21. Envie uma nota de congratulações a empresários ou profissionais bem-sucedidos, que saíram nos noticiários.

22. Doe livros, incluindo livros usados de Direito, a bibliotecas e escolas com um cartão seu dentro do livro – ou mesmo afixado na capa. Algumas entidades registram no próprio livro o nome do doador.

23. Doe revistas a escolas, organizações, associações e até mesmo a prisões, sempre juntando, com um clipe, seu cartão de visita.

24. Torne-se disponível para fazer palestras em escolas do segundo grau, sobre tópicos relacionados a sua área, porque os alunos comentam o assunto com seus pais e outras famílias, especialmente se souberem de algum fato que sugere a atuação de um advogado.

25. Participe ativamente das atividades da comunidade.

26. Dê seu cartão de visitas a garçons e outros profissionais que se comunicam muito com as pessoas.

27. Almoce, jante ou forme grupos com outros advogados, que atuam em áreas diferentes da sua, para trocar dezenas de cartões de visitas, de forma que uns possam recomendar os outros a possíveis clientes.

28. Quando concluir um trabalho para um cliente, certifique-se de lhe explicar tudo o que pode fazer por ele e, por extensão, a seus familiares, amigos e conhecidos. Procure identificar, nas conversações, outros tipos de problemas jurídicos que eles ou alguém de seu círculo possam ter.

29. Peça a seus clientes para contatá-lo sempre que tiverem qualquer problema jurídico, tanto porque poderá ajudá-los a encontrar, se não for você mesmo, o melhor advogado de alguma outra área da advocacia. Em outras palavras, torne-se a primeira pessoa a quem eles se dirigem quando têm qualquer tipo de problema jurídico.

30. Conheça bem os negócios de seus clientes – e de seus futuros clientes. Demonstre interesse e explique que o sucesso deles é também o seu sucesso.

31. Explique aos clientes e possíveis clientes os serviços que você presta. Se eles entenderem, serão boas fontes de referência.

32. Crie press releases com sua assessoria de imprensa. Em alguns casos, grandes jornais são o melhor destino. Às vezes, a publicação mais adequada é um jornal local. Ou um jornal ou revista de um setor empresarial ou profissional específico.

33. Encarregue-se de lembrar seus clientes de suas obrigações, como datas de renovações de documentos, licenças, registros, pagamentos de taxas etc.

34. Envie cartões de congratulação a todos os clientes e possíveis clientes por eventos familiares, tais como aniversários de nascimento e casamento, formatura e casamento de filhos.

35. Apresente novas ideias para melhorar os negócios de seus clientes empresários. Mesmo que a ideia não seja adotada, isso mostra ao cliente que você se interessa pelo sucesso dele e que você é criativo.

36. Todo domingo à noite (ou segunda de manhã) escreva cinco atividades de marketing que você vai realizar durante a semana.

37. Certifique-se de que todos em sua firma, sua família e em seu círculo de amizades conheçam o melhor possível sua área de atuação, os problemas jurídicos que você pode resolver e casos que você já resolveu para a satisfação do cliente. Comente seus sucessos também com seus funcionários.

38. Escreva uma boa descrição de 30 segundos (o tempo de um comercial de TV) do serviço que você presta e o memorize. Use-a sempre que tiver uma oportunidade, especialmente quando alguém pergunta o que você faz. Passe essa descrição a todos da firma e às pessoas mais próximas, que estão interessadas em ajudá-lo.

39. Liste de cinco a dez pessoas ou empresas que você gostaria de ter como clientes. Faça um plano para conseguir a atenção delas.

40. Descubra nas conversações com seus clientes ou com pessoas que o visitam no escritório o que as levou a procurá-lo. Isso o ajuda a determinar o que funciona melhor em suas atividades de marketing.

41. De preferência, não participe de uma atividade só com o fim específico de conquistar clientes. Prefira atividades que lhe agradam. Se você não tem interesse em uma atividade, não terá interesse nas pessoas que participam dela e não fará o melhor para se relacionar com elas. Nem para servi-las. Pode ser perda de tempo.

42. As três melhores técnicas de marketing são: relacionamentos, relacionamentos e relacionamentos. Fazer relacionamentos pode, às vezes, não produzir efeitos imediatos. Mas é o que dá mais resultado.

43. Nunca se desculpe pelo tamanho de sua firma. Isso é particularmente importante para advogados que fazem carreira solo ou para firmas de pequeno porte. Há boas razões para clientes preferirem advogados autônomos ou pequenas firmas. Esteja pronto para explicá-las rapidamente, sempre que necessário. Exalte os pontos fortes.

44. Se há mais de um advogado no escritório, cada um têm de saber muito bem o que o outro faz. E isso tem de ser sempre explicado a clientes existentes ou futuros. Se existem mais advogados, faça reuniões para discutir isso detalhadamente. Que fique bem claro para todos como podem melhor servir os clientes.

45. Tenha seu nome, telefone e endereço em todos os catálogos possíveis, especialmente os gratuitos, sejam impressos ou na Internet.

46. Escreva uma descrição sobre sua área de atuação e os serviços que você presta e a envie por e-mail a outros advogados. Peça informação sobre a atuação deles.

47. Participe de associações de advogados especializadas, mesmo que a área deles não seja seu forte. Desenvolva relacionamentos, explique o seu forte e monte sua rede de referências.

48. Escreva newsletters para empresários, com informações e alertas. Para outros públicos, escreva no verso do cartão de visita recomendações sobre “o que fazer depois de um acidente” ou “o que fazer se for preso”. Seja conciso, claro e didático.

49. Disponibilize brindes que interessam às pessoas, mesmo que sejam chaveiros ou canetas, com o nome e telefone da firma.

50. Coloque os documentos dos clientes em pastas “simpáticas” do escritório, como nome, telefone, e-mail e endereço da firma – e um cartão preso com clipe na contracapa. Algumas vêm com caneta e bloco de anotações, tudo com os dados da firma.

Fonte: Consultor Jurídico

16 de maio de 2014

5 dicas para gestores ouvirem melhor o que suas equipes têm a dizer

por Mariane Selli

equipe

Um gestor que desenvolve a capacidade de escuta empática ajuda a construir a confiança e o respeito

Colaboradores sentem falta da atenção da chefia e o problema pode estar na capacidade de empatia e na qualidade da escuta, mais do que na quantidade de horas dedicadas às equipes. Isso é o que afirma Eva Hirsch Pontes, coach executiva responsável pelo estudo. Em parceria com a Cristina Panella Planejamento e Pesquisa e a agência LeadPix, o levantamento foi realizado em janeiro de 2014 com 1.200 profissionais, gestores e subordinados, que divergem quando o assunto é a atenção dedicada pelos chefes a suas equipes.

Segundo a coach executiva, um gestor que desenvolve a capacidade de escuta empática ajuda a construir, de forma mútua, a confiança e o respeito, abrindo espaço até mesmo para expressar emoções, sentimentos e encorajar a resolução de problemas. A atitude tem ainda forte impacto no desempenho da equipe. Dados do levantamento revelam que se o gestor disponibilizasse mais atenção, 43% dos subordinados se sentiriam mais valorizados, 40% que ficariam mais motivados e 35% se sentiriam mais confiantes.

Confira 5 dicas da especialista para desenvolver a escuta empática:

1 – Mostre que está compreendendo o que está sendo ouvido

Demonstre que você entendeu perfeitamente o que os outros estão sentindo, e que reconhece esses sentimentos. Frases mencionando o sentimento percebido, e que abram espaço para o feedback, como “Você parece animado (feliz, chateado…) em relação a esta situação; e eu gostaria de ouvir mais sobre a sua perspectiva” costumam ser bastante eficazes.

“Não estamos sugerindo que os chefes achem a 25ª. hora do dia para mais uma tarefa em sua rotina já atribulada, e sim que dediquem mais cuidado à qualidade das interações que já têm com seus subordinados. É importante que gestores percebam que foco em resultados e foco em pessoas andam de mãos dadas”, diz Eva.

2 – Assegure que está se lembrando do que está ouvindo

Um dos principais problemas achados na pesquisa, foi em relação à qualidade da conversa, e não sua duração. Embora 41% dos gestores participantes afirmem que dedicam muita atenção aos funcionários, apenas 9% dos subordinados consideram que recebem o mesmo nível de atenção dos supervisores no ambiente de trabalho. As justificativas variam: para 15% dos colaboradores, o gestor não tem paciência; 13% consideram o supervisor ausente; 10% acham que o gestor é muito ocupado; 9% apontam que o chefe não se importa com o funcionário; 8% atribuem a pouca atenção que recebem à falta de preparo e experiência da chefia; e 6% culpam o tamanho da equipe.

Assegurar aos demais que você está se lembrando do que dizem é fundamental para um atendimento de qualidade. Resumir em tópicos os pontos de acordo e desacordo, as principais mensagens da conversa e algumas sugestões para responder às demandas discutidas pode ser um bom caminho.

3 – Pense bem na hora de dar a resposta

Para garantir que os outros entendam que a verdadeira escuta ocorreu, a resposta precisa ser apropriada. Para isso, o follow-up da conversa é um passo importante. Essa garantia pode vir por meio da incorporação de feedback e da realização de mudanças, colocando em prática promessas feitas em reuniões, ou, se não for possível, explicar por que foi tomada outra decisão.

“A escuta empática está baseada em três pilares: reconhecimento, processamento e resposta. Um bom ouvinte se coloca no lugar do outro, processa toda a mensagem, identifica e reúne pontos importantes da conversa, assim como responde ao que lhe foi dito por meio de ações concretas”, explica a especialista.

4 – Questione o que está sendo dito em busca de mais informações

Os resultados da pesquisa demonstram que o sentimento de não ser escutado, seja dentro ou fora do ambiente de trabalho é algo muito comum. Quando questionados sobre a atenção de amigos ou colegas quando falavam sobre seus próprios problemas, apenas 34% dos entrevistados afirmaram que se sentiam ouvidos, ao passo que 63% acreditavam sempre dar atenção aos seus pares quando solicitados da mesma forma.

Questionar de maneira aprofundada e buscar esclarecer ao máximo o assunto discutido por meio da reformulação a partir do que compreendeu do foi dito pelo outro mostra engajamento na conversa.

5 – Fique de olho no que seu corpo está dizendo

“Atentar para o tom de voz, expressões corporais e sentimentos por trás de uma fala fazem parte das atitudes necessárias para que a experiência seja claramente importante para os dois, abrindo espaço para uma nova interação entre chefia e subordinados”, diz Eva.

A linguagem não verbal também é muito importante. Por isso, atenção às expressões faciais, contato visual e linguagem corporal. Respostas eficazes podem incluir acenos de cabeça, e o uso de frases de reconhecimento, como “Esse é um ótimo ponto!”.

“Os dados da pesquisa demonstram que a qualidade da atenção investida com cada integrante da equipe é um fator fundamental para o sentimento de valorização, com impacto na motivação e autoconfiança”, completa Eva.

Via Administradores.